Álvaro D'Alessandro

abr 062017
 

Há poucos dias, enquanto esperava pelo início de uma reunião em um cliente, tive a oportunidade de presenciar algo curioso; imagine a cena: 11 pessoas, de uma equipe que começou a utilizar Scrum há poucos meses, reúnem-se em pé em uma “área de convívio” ao lado das salas de reunião e começam a conversar sobre as atividades do projeto.

Tudo levava a crer que a equipe estava realizando sua Reunião Diária, exceto pelo que pude acompanhar…

Continue reading »

fev 102017
 
Muitas vezes ao falar sobre o cotidiano de atividades em projetos que usam Scrum, algumas pessoas erroneamente usam o termo ‘cerimônia’ para se referir à execução de um conjunto muito comum, com o qual os profissionais tornam-se familiarizados: a Reunião de Planejamento da Sprint, a Reunião Diária, a Revisão da Sprint, a Retrospectiva da Sprint e  o  contêiner das anteriores: a Sprint propriamente dita.
out 172016
 
A OAT Solutions esteve presente no Atlassian Summit 2016, realizado entre os dias 10 e 13 de Outubro de 2016, na cidade de San Jose, Califorinia
Como único Atlassian Expert Brasileiro presente como patrocinador, a OAT teve acesso privilegiado a dezenas de parceiros de todas as partes do globo, que fornecem AddOns que agregam muito valor aos produtos Atlassian, como JIRA, Confluence, JIRA Service Desk e Bamboo entre outros.
Foi também uma oportunidade de ouro para trocar experiências com profissionais de algumas das maiores organizações internacionais que usam os produtos Atlassian, como Google, NASA, Comcast, Electronic Arts, Marinha dos Estados Unidos (US Navy) e Samsung, além de compartilhar em primeira mão da visão inovadora que a Atlassian tem para o desenvolvimento de software, gestão de serviços (ITSM) e tendências como Agile em larga escala, DevOps e MicroServices.
ago 272016
 

Visão geral

Quando as empresas avaliam ferramentas de automação de teste para testes web, frequentemente surge a pergunta: Qual é a vantagem de usar o Rapise ao invés de Selenium?

Ou ainda de modo mais amplo: Por que pagar por uma ferramenta comercial ao invés de usar uma gratuita?

À primeira vista, ambas as ferramentas parecem endereçar os mesmos desafios ao automatizar testes na web, mas é muito importante compreender outros aspectos ao comparar as duas ferramentas.

 

Continue reading »

jun 062014
 

 

O modelo de Outsourcing no desenvolvimento e manutenção de software é uma realidade em inúmeras corporações, dos mais diversos portes.
Sem entrar no mérito de se existe uma tendência de Outsourcing ou de Insourcing, e sem entrar no mérito de qual abordagem é a melhor, o que este post apresenta é uma avaliação da importância do trabalho de QA (Quality Assurance / Garantia de Qualidade) como forma de assegurar o investimento de quem contrata (cliente), bem como para nortear o fornecedor (ex: fábrica de software) sobre como – e em qual medida – os produtos de trabalho devem atender aos padrões de qualidade estabelecidos.
mai 232014
 

O Enterprise Architect é uma ferramenta de modelagem com muitas teclas de atalho e diversas funções podem ser facilmente executadas a partir do teclado.

Que tal então ganhar produtividade com este exclusivo cartão com instruções de atalhos e acesso rápido do Enterprise Architect ?

EA-atalhos

Clique aqui para salvar/fazer o download, em formato PDF, e deixe o guia de atalhos sempre a mão!

fev 242014
 
Visão x Product Backlog x Sprint Backlog

Quando falamos em Product Backlog e Sprint Backlog, impreterivelmente estamos tratando de um conceito que a maior parte das metodologias ágeis, não apenas o Scrum traz como premissa: a Entrega Orientada ao Valor (Value Driven Delivery, em inglês). Mas o que é isso e porque é tão importante para o cliente?

Segundo John Stenbeck, “fundamentalmente, a entrega orientada a valor enfatiza o desenvolvimento de recursos e funções com o maior retorno de investimento para o cliente”.  Por meio da Visão do projeto, o responsável pelo escopo do produto, o Product Owner faz refletir em sua lista os itens mais prioritários ao cliente, também conhecido como Product Backlog.

Até aqui ok! Mas como que a equipe consegue definir o que é mais prioritário para o desenvolvimento, tendo em vista impedimentos de ordem técnica, os quais podem inviabilizar uma entrega de valor ao cliente?

Continue reading »

fev 102014
 

Há 2 tipos de backlog no Scrum, que são semelhantes em estrutura, mas tem propósitos e níveis de detalhamento diferentes:

  • Product Backlog
  • Sprint Backlog

O Product Backlog lista os requisitos para o projeto priorizados de acordo com o valor entregue para o cliente; este backlog é gerenciado pelo Product Owner, e é atualizado ao longo do projeto, à medida que os requisitos são descobertos e refinados. Deve conter informações suficientes para que o time consiga realizar estimativas de desenvolvimento.

No início de cada iteração (sprint), o time revisa o Product Backlog de acordo com a priorização e identifica as estórias de maior prioridade que possam ser trabalhadas naquela iteração. Estas estórias passam a compor o Sprint Backlog para a iteração em questão.

O Sprint Backlog é gerenciado pelo time do projeto e deve conter uma lista detalhada de todas as tarefas que o time precisa completar, relativas a cada estória contida na sprint.

Portanto, enquanto o Product Backlog é criado uma vez e atualizado ao longo do projeto, um novo Sprint Backlog é criado ao início de cada iteração; e enquanto o Product Backlog é tipicamente atualizado semanalmente, o Sprint Backlog é revisado e atualizado diariamente.

 

[ Este post é parte de uma série de perguntas frequentes sobre assuntos relacionados a AGILE. Para pesquisar as demais perguntas já respondidas aqui no blog da OAT, busque pela tag AGILEFAQ  e para submeter uma pergunta, envie a sua questão para o email agile@oatsolutions.com.br ]

jan 162014
 

Olá pessoal! No post anterior, falamos sobre o ALM, suas origens e como vem sendo utilizado como ferramenta de produtividade em ambientes ágeis de desenvolvimento de software. Seguindo nessa vertente, nosso tema de hoje propõe a junção dos dois modelos, fazendo com que os conceitos do Agile e do ALM tradicional se encontrem.

Vale reforçar um fator muito importante antes de esmiuçarmos melhor as características de um ALM: por si só, esse tipo de ferramenta já embute uma série de premissas que se acoplam perfeitamente aos princípios do Agile!

Mas como isso ocorre? Simples! Apeguemos-nos ao que é comum aos dois: tanto o Agile, como o ALM, pregam o uso da colaboração, integração contínua, comunicação e melhoria contínua dos seus processos como princípios básicos de funcionamento de ambos. Assim, quando adicionamos ao ALM tradicional um conjunto de valores e estratégias ágeis, fazemos com a ferramenta passe a ter foco na interação humana (“peopleware”), aumentando assim seu poder de comunicação.

Continue reading »