abr 242017
 

A OAT Solutions participou do Agile Trends Brasil, que aconteceu nos dias 12 e 13 de Abril, em São Paulo.
Com o destaque de integrar uma rede internacional de empresas que são ‘Atlassian Solution Partner’, e por oferecer soluções em consultoria, treinamentos e ferramentas que cobrem completamente o ciclo de vida relativo a iniciativas de transformação ágil, o estande da OAT Solutions teve intensa movimentação durante os dois dias do evento.
Segundo Álvaro D’Alessandro, diretor da OAT Solutions, “foi uma honra patrocinar um dos maiores eventos da comunidade ágil e foi muito produtivo para trocar experiências, encontrar clientes, amigos, fazer novas conexões e compartilhar algumas de nossas contribuições tendo ao nosso lado a Atlassian”.

Veja a seguir fotos da presença da OAT Solutions no Agile Trends Brasil 2017:

Continue reading »

abr 062017
 

Há poucos dias, enquanto esperava pelo início de uma reunião em um cliente, tive a oportunidade de presenciar algo curioso; imagine a cena: 11 pessoas, de uma equipe que começou a utilizar Scrum há poucos meses, reúnem-se em pé em uma “área de convívio” ao lado das salas de reunião e começam a conversar sobre as atividades do projeto.

Tudo levava a crer que a equipe estava realizando sua Reunião Diária, exceto pelo que pude acompanhar…

Continue reading »

fev 102017
 
Muitas vezes ao falar sobre o cotidiano de atividades em projetos que usam Scrum, algumas pessoas erroneamente usam o termo ‘cerimônia’ para se referir à execução de um conjunto muito comum, com o qual os profissionais tornam-se familiarizados: a Reunião de Planejamento da Sprint, a Reunião Diária, a Revisão da Sprint, a Retrospectiva da Sprint e  o  contêiner das anteriores: a Sprint propriamente dita.
out 172016
 
A OAT Solutions esteve presente no Atlassian Summit 2016, realizado entre os dias 10 e 13 de Outubro de 2016, na cidade de San Jose, Califorinia
Como único Atlassian Expert Brasileiro presente como patrocinador, a OAT teve acesso privilegiado a dezenas de parceiros de todas as partes do globo, que fornecem AddOns que agregam muito valor aos produtos Atlassian, como JIRA, Confluence, JIRA Service Desk e Bamboo entre outros.
Foi também uma oportunidade de ouro para trocar experiências com profissionais de algumas das maiores organizações internacionais que usam os produtos Atlassian, como Google, NASA, Comcast, Electronic Arts, Marinha dos Estados Unidos (US Navy) e Samsung, além de compartilhar em primeira mão da visão inovadora que a Atlassian tem para o desenvolvimento de software, gestão de serviços (ITSM) e tendências como Agile em larga escala, DevOps e MicroServices.
fev 242014
 
Visão x Product Backlog x Sprint Backlog

Quando falamos em Product Backlog e Sprint Backlog, impreterivelmente estamos tratando de um conceito que a maior parte das metodologias ágeis, não apenas o Scrum traz como premissa: a Entrega Orientada ao Valor (Value Driven Delivery, em inglês). Mas o que é isso e porque é tão importante para o cliente?

Segundo John Stenbeck, “fundamentalmente, a entrega orientada a valor enfatiza o desenvolvimento de recursos e funções com o maior retorno de investimento para o cliente”.  Por meio da Visão do projeto, o responsável pelo escopo do produto, o Product Owner faz refletir em sua lista os itens mais prioritários ao cliente, também conhecido como Product Backlog.

Até aqui ok! Mas como que a equipe consegue definir o que é mais prioritário para o desenvolvimento, tendo em vista impedimentos de ordem técnica, os quais podem inviabilizar uma entrega de valor ao cliente?

Continue reading »

fev 102014
 

Há 2 tipos de backlog no Scrum, que são semelhantes em estrutura, mas tem propósitos e níveis de detalhamento diferentes:

  • Product Backlog
  • Sprint Backlog

O Product Backlog lista os requisitos para o projeto priorizados de acordo com o valor entregue para o cliente; este backlog é gerenciado pelo Product Owner, e é atualizado ao longo do projeto, à medida que os requisitos são descobertos e refinados. Deve conter informações suficientes para que o time consiga realizar estimativas de desenvolvimento.

No início de cada iteração (sprint), o time revisa o Product Backlog de acordo com a priorização e identifica as estórias de maior prioridade que possam ser trabalhadas naquela iteração. Estas estórias passam a compor o Sprint Backlog para a iteração em questão.

O Sprint Backlog é gerenciado pelo time do projeto e deve conter uma lista detalhada de todas as tarefas que o time precisa completar, relativas a cada estória contida na sprint.

Portanto, enquanto o Product Backlog é criado uma vez e atualizado ao longo do projeto, um novo Sprint Backlog é criado ao início de cada iteração; e enquanto o Product Backlog é tipicamente atualizado semanalmente, o Sprint Backlog é revisado e atualizado diariamente.

 

[ Este post é parte de uma série de perguntas frequentes sobre assuntos relacionados a AGILE. Para pesquisar as demais perguntas já respondidas aqui no blog da OAT, busque pela tag AGILEFAQ  e para submeter uma pergunta, envie a sua questão para o email agile@oatsolutions.com.br ]

jan 102014
 
Quadrante Mágico do Gartner - Ferramentas de ALM

Desde que o Manifesto para o desenvolvimento ágil de software foi apresentado para a comunidade em meados de 2001, um dos valores mais propagados tem sido a comunicação entre as equipes de projeto, afirmando que devemos privilegiar “Indivíduos e interação mais que processos e ferramentas”. Esse valor ágil provocou uma revolução junto às práticas de comunicação das equipes de desenvolvimento, trazendo para aos times menos formalismos e maior direcionamento às práticas interativas, aproximando o universo de desenvolvedores e clientes.

Continue reading »

dez 092013
 

Dada a importância da relação entre o Gerente de Projetos e Analista de Negócios em uma equipe de projeto , como uma organização pode nutrir essa relação fundamental  e , no processo, garantir um melhor desempenho da equipe ?

Aqui estão seis estratégias básicas que você pode empregar :

1 – Treinar os Gerentes e Analistas na metodologia e nos papéis.  Cada um deve compreender mutuamente as responsabilidades e concordar na forma de obter resultados.

2 – formar equipes de duas pessoas, de gerentes e analistas que possam trabalhar juntos mais de uma vez , para que eles possam conhecer os pontos fortes e fracos de cada um.

3 – Recompensar a colaboração dos gerentes e analistas que apresentam as melhores características de seus respectivos papéis.

4 – Escolher os gerentes e analistas que compreendem naturalmente o valor do comprometimento e que trabalham ativamente em conjunto para gerenciar riscos.

5- Desenvolver uma mentalidade onde os profissionais se comuniquem muito para garantir que nada seja perdido.

6- Por fim, prestar muita atenção para as interdependências. Umas das principais áreas estratégicas da sobreposição entre as funções do gerente e analistas, por exemplo, é a área de definição e gestão de escopo.  Esses profissionais devem estar profundamente envolvidos em discussões como esta que podem parecer simples, mas podem fazer estragos em cronogramas e orçamentos.

 

Documento original publicado por   Cathy Cecere – modernanalyst.com  – Tradução Livre – Anderson Barcat