jan 132014
 

Se a resposta imediata para a pergunta acima for “no código fonte”, ou “nas minhas procedures” ou ainda “na cabeça do ‘querido usuário’ “, esse é um mal começo!
Ao menos, se serve de consolo, você não está sozinho: a maioria dos profissionais de TI (e dos departamentos de TI) desconhecem as regras de negócio dos processos aos quais atendem, ou não as tem declaradas de modo explícito/documentadas formalmente.

Esse é um fato curioso:  entre os elementos “típicos” do cotidiano de especificação e desenvolvimento de sistemas, o conceito de regra de negócio é um dos mais antigos e manipulados (independentemente da plataforma de desenvolvimento, linguagem de programação ou complexidade do sistema). Por que então que poucas empresas gerenciam adequadamente suas regras de negócio ?
Uma rápida observação do cotidiano permite elencar algumas possíveis razões (que não excluem outras) :

- visão distorcida : durante anos a “comunidade” acreditou que se fossem adotadas técnicas mais robustas para Análise e Design, “tudo se resolveria”; anos mais tarde a mesma “comunidade” comprou a ideia da Gestão de Projetos, e mais recentemente a ideia do levantamento e especificação de Requisitos. Apesar de todos estes princípios serem necessários à melhoria de processos de software e constituirem iniciativas valiosas para a produção de soluções de maior valor agregado e com mais qualidade, é fundamental também incluir a gestão das regras de negócio na equação que visa levar sua Organização a patamares mais altos de qualidade, eficiência e eficácia, pois tudo deriva da correta identificação e do adequado atendimento às regras de negócio que ditam os comportamentos esperados/desejados/permitidos/proibidos.

- baixa maturidade em relação à visão de modelagem de processos : décadas atrás, quando o que hoje é tipicamente chamado de “Modelagem de Processos” (e geralmente executado por Analistas de Negócios) era foco das áreas de Organizações e Métodos (O&M para os íntimos) esta área começou a perder força e quando, consequentemente, as áreas de O&M foram se pulverizando, formou-se na “comunidade” um mito de que Modelar Processos era tão simples quanto somente desenhar um fluxograma (ou até menos do que isso) em “ferramentas” como o PowerPoint, Excel, ou pior, em pseudo-ferramentas de modelagem!

- foco em soluções de curto prazo, imediatistas: quando tudo é urgente e deveria ter sido entregue na semana passada realmente fica difícil realizar um trabalho de qualidade, principalmente se partirmos do FATO que as atividades de registro, detalhamento e rastreabilidade de regras de negócio tomam tempo! É notável, ainda nesta questão, como as necessidades “urgentes” quando analisadas com visão de longo prazo significam retrabalho, custos elevados e complexidade exponencial de testes, entre outros problemas e desvios…

- falta de técnicas adequadas, ou notações, processos e metodologias: não deixa de ser uma coletânea dos problemas anteriores, além de constituir um problema por si só; basta analisar, a título de exemplo, as grades curriculares das melhores Universidades do país, ou os programas de capacitação das empresas ao nosso redor: em todas há cadeiras ou cursos focados em linguagens de programação, mas em uma minoria há ênfase em conhecer e aplicar as melhores práticas, notações e métodos de modelagem de processos que incentivem a documentação de regras de negócio como parte do trabalho de análise e design de processos, ou sequer sob a ótica de especificar requisitos com conteúdos mais significativos a partir de regras de negócio robustas

Enfim, o desafio é grande mas se, para você, faz sentido cuidar melhor das regras de negócio, espalhe essa mensagem e ajude a aumentar a qualidade dos sistemas desenvolvidos,mantidos ou suportados por você ou sua equipe!

Como sempre, conte com a OAT Solutions para aprender a identificar, descrever e gerenciar suas regras de negócio através de cursos e atividades de mentoring em Modelagem de Processos de Negócio, aproveitando também para praticar a Modelagem de Processos e Regras através de ferramentas de produtividade como o Enterprise Architect, distribuído, suportado e divulgado pela OAT Solutions.

 Leave a Reply

(required)

(required)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>